“ESPERO QUE AGUINALDO NÃO VÁ COM UM EX-PRESIDIÁRIO”

A frase é da vice-presidente da Câmara Municipal de João Pessoa, Eliza Virginia (PP), durante entrevista nesta quinta-feira (1°). A progressista, que faz parte da base de sustentação do prefeito Cícero Lucena (PP), afirmou que deixa a legenda, mas não segue a orientação de votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) caso o presidente do partido em âmbito estadual, Aguinaldo Ribeiro (PP), declare aliança com o petista nas eleições presidências de 2022.

“Espero que Aguinaldo não vá com um ex-presidiário, uma pessoa que foi retirada as suas acusações não por falta de provas, mas porque acharam um meio de dizer que o local onde ele foi julgado não era apropriado e colocaram para outro. Eu não voto em ex-presidiário e espero que meu partido não me force a isso, aliás, não vão forçar, creio que não vá chegar a esse extremo. Mas se for preciso, eu deixo o partido mas não voto”, disse Eliza Virginia.

Questionada se em âmbito estadual ela deve seguir o prefeito Cícero Lucena (PP), que durante entrevistas a imprensa tem declarado apoio ao projeto de reeleição do governador João Azevêdo (Cidadania), Eliza apontou que tem uma linha conservadora que a impede de seguir essa orientação e vê em Romero Rodrigues (PSD), ex-prefeito de Campina Grande e possível candidato da oposição, como um nome que represente com maior afinidade as suas ideias.

“Eu sou direita conservadora. Eu voto em Cícero e no Estado não tem como ser esquerda, pensar de outra forma. O Governo de João freou muito, por exemplo, as escolas que ainda estão fechadas. Não há oportunidade para nossas crianças, sofrendo com a falta de segurança alimentar, a própria pandemia, a vulnerabilidade nas ruas. Porque as crianças não estão estudando? Está havendo uma briga interna entre as secretarias e os sindicatos, mas o estado priva e tira o direito delas. Ou seja, só tem direito quem estuda nas particulares. Romero tem um portfólio e ele consegue ser mais próximo de um governo de direita, mas precisamos estudar mais essa questão. A minha linha é essa”, declarou a vereadora Eliza Virginia.