Crédito bancário totaliza em R$ 29.493.055,93. Pagamento da restituição será realizado em lote no último dia útil do mês, no dia 29 de maio. Crédito bancário totaliza em R$ 29.493.055,93.

A Receita Federal abre nesta sexta-feira (22) as consultas ao primeiro lote do Imposto de Renda de Pessoa Física 2020, relativo ao ano-base 2019, para 12.181 contribuintes da Paraíba. O crédito bancário totaliza em R$ 29.493.055,93.

As consultas poderão ser feitas a partir das 9h por meio da página da Receita na internet ou pelo telefone 146. O órgão disponibiliza, ainda, um aplicativo para tablets e smartphones para consultar as informações sobre a restituição do IR e a situação cadastral no CPF.

Em 2020, o pagamento da restituição será realizado em lote no último dia útil do mês, no dia 29 de maio, sendo que, em anos anteriores, ocorria no dia 15.

A prioridade neste primeiro lote é para contribuintes que têm prioridade legal no recebimento das restituições, sendo idosos acima de 80 anos, contribuintes entre 60 e 79 anos e contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

Neste ano, o primeiro lote do IR está sendo pago antes mesmo do fim do prazo de entrega do Imposto de Renda, que foi estendido para 30 de junho por conta da pandemia do novo coronavírus. É a primeira vez que as restituições começam a ser pagas ainda durante o prazo de transmissão das declarações.

Historicamente, o primeiro lote de restituição era pago no mês de junho, mas neste ano foi antecipado para maio. Também haverá a redução do número de lotes de 7 para 5. Dessa forma, a conclusão do pagamento das restituições, referentes às declarações que não tenham apresentado inconsistências, será no mês de setembro.

Consultas

Ao realizar as consultas ao primeiro lote do Imposto de Renda 2020, o contribuinte será informado:

  • que foi contemplado e que receberá os valores na semana que vem;
  • ou que a declaração está na “fila de restituição”, ou seja, que está tudo correto (apenas aguardando a liberação dos valores nos próximos meses),
  • ou que está “em processamento”, ou na “fila de espera” do órgão.

Quando a declaração está “em processamento” ou na “fila de espera”, pode ser que haja alguma inconsistência de informações, e o contribuinte pode revisá-la para ter certeza, mas isso ainda não é certo.

Com G1 PB