Caso se confirme o que a mídia vem divulgando, que o governador João Azevedo vai anunciar o nome de Agnaldo Ribeiro, como o escolhido para a vaga de pré-candidato a senador na chapa, não é difícil chegar a conclusão de que a preocupação foi de perder bases decisivas em João Pessoa e Campina Grande.

Começamos pela cidade de Campina Grande de onde vem três pré-candidaturas a governador, de Pedro Cunha Lima (PSDB) e Veneziano Vital (MDB) e Lígia Feliciano (PDT). Há ainda a possibilidade de que uma lideranças da cidade componha a chapa do pré-candidato Nilvan Ferreira (PTB), restando como apoio ao governador tão somente o grupo da senadora Daniella Ribeiro e do deputado federal Agnaldo Ribeiro.

Imaginem se João Azevedo escolhesse Efraim Moraes e perdesse apoio do grupo do PP. Perderia bases nos dois maiores colégios eleitorais, João Pessoa e Campina Grande.

Em João Pessoa dos seis candidatos mais votados nas eleições de 2020, cinco estão contra João Azevedo. Nilvan Ferreira que foi para o segundo turno nas eleições da Capital agora vai disputar o mandato de governador.

Ruy Carneiro, Walber Virgolino, Edilma Freire e Ricardo Coutinho, também estão em campos opostos ao governador João Azevedo.

Seria um caos para o governador perder o PP, pois assim perderia sua base na Capital, ou seja o apoio do prefeito Cícero Lucena.

Deve ter muita gente questionando como o governador vai tentar manter Efraim Moraes, que tem uma base forte ao Senado e pode mudar de lado.

Aguardemos os próximos acontecimentos.

Por Marcelo José