Mensagens apreendidas em celulares de acusados de participar de desvios na Saúde de Santa Catarina embasam uma decisão judicial que abriu a possibilidade de o governador Carlos Moisés ser investigado pelo STJ.

O esquema foi descoberto pela Operação O2, que apura supostas fraudes num contrato de R$ 33 milhões para a compra de respiradores importados. Só 50 aparelhos chegaram aos hospitais catarinenses.

Um tal de Consórcio Nordeste (foto) não recebeu nenhum respirador e ficou por isso mesmo até então.
A governadora do RN Fátima Bezerra “dançou” com R$ 5 milhões.