O Governador João Azevêdo se reuniu, na Granja Santana, em João Pessoa, com associações representantes
da Polícia e Corpo de Bombeiros Militar, ocasião em que anunciou a nova proposta apresentada à categoria, que é
a incorporação de 100% da bolsa desempenho ao salário em 48 meses e reajuste salarial de 10% de reajuste salarial,
beneficiando os servidores ativos e inativos.

O detalhe é que o aumento de 10% proposto pelo Governo, de forma linear, na prática será injusto. De acordo com a proposta do governador, soldados e cabos, por incrível que pareça, chegaram ao ponto de terem o mesmo salário, e pior, abaixo do salário mínimo vigente no país.

Dessa forma o Governo do Estado sabe que já seria obrigação do Estado de equiparar o soldo dos soldados e cabos, o que significa dizer que proposta de 10% já seria obrigação com militares que estão na base da hierarquia da instituição.

Outro ponto questionado é que o acordo não deveria se estender além do ano de 2022, último ano de exercício
do mandato do governador, mesmo levando-se em consideração que ele possa ser reeleito nas eleições de outubro próximo.