O presidente da Comissão de Ética da Presidência da República (CEP), Paulo Henrique dos Santos Lucon, afirmou à coluna que o colegiado vai voltar a discutir o direito ou não de quarentena do ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro. “Vamos analisar”, disse o presidente, informando que a reunião está marcada para dia 30 de junho.
A reação da Comissão de Ética se deve ao fato de que o subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado entrou com pedido ao TCU (Tribunal de Contas da União) para que Moro pare de receber salário no período de quarentena após ter deixado o cargo no governo federal. A justificativa é que o ex-ministro ganhou uma coluna recentemente na revista Crusoé e escreveu um artigo para o jornal O Globo.