Coriolano é alvo da Operação Calvário que investiga desvio de recursos públicos na gestão de Ricardo Coutinho.

A ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Laurita Vaz, negou novo pedido para soltura de Coriolano Coutinho, irmão do ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB). Ele é investigado na Operação Calvário que trata de uma organização criminosa suspeita de desvio de recursos pública na área da saúde.

Coriolano Coutinho foi preso, de forma preventiva, no dia 29 de janeiro. Ele é acusado dos crimes de corrupção passiva e irregularidades em licitações, além da prática de peculato. De acordo com a denúncia, também é acusado de integrar Organização Criminosa (Orcrim) que trata da suspeita da prática de desvio de dinheiro público na gestão do ex-governador Ricardo Coutinho.

No dia 20 de agosto, o ministro Gilmar Mendes rejeitou um pedido de habeas corpus protocolado pela defesa de Coriolano Coutinho no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e manteve a prisão. Quatro dias após, em julgamento, o pedido foi negado por unanimidade da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba. 

www.politicajp.com.br