A juíza da 1ª Vara Criminal de João Pessoa, Andréa Arcoverde Cavalcanti Vaz, decidiu receber as duas denúncias apresentadas pelo GAECO no âmbito da Operação Calvário, na 11ª e 12ª fases. Com isso, ela tornou réus o ex-governador Ricardo Coutinho, o ex-presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas; e mais 29 investigados.

Em função das 11ª e 12ª fases três continuam presos: o empresário Pietro Harley, Edvaldo Rosas e o irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho. A defesa de Edvaldo Rosas e Pietro Harley disse que recebeu as decisões com tranquilidade.

As investigações apontam a ocorrência de fraudes em licitações, contratos e desvios na compra de livros  e outros materiais para a Educação da Paraíba – ocorridos durante a gestão passada.

No total, o Gaeco pede o ressarcimento aos cofres públicos de mais de R$ 3 milhões. Entre os crimes denunciados estão peculato, fraudes em licitações e corrupção.

Na primeira denúncia foram incluídos o ex-governador Ricardo Coutinho; o irmão dele, Coriolano Coutinho; o ex-procurador geral do Estado Gilberto Carneiro; a ex-prefeita do Conde, Márcia Lucena; a ex-secretária de Administração Livânia Farias (Colaboradora), o ex-secretário executivo do Turismo, Ivan Burity (Colaborador); Leando Nunes (Colaborador); o ex-presidente estadual do PSB, José Edvaldo Rosas; Maria Laura (Colaboradora); Aparecida de Fátima Uchôa Rangel; Wladimir Neiva; Jadson Alexandre; Marcos Aurélio Paiva; Raul Maia; o empresário Pietro Harley; e o ex-secretário de Saúde, Waldson de Souza.

Na segunda denúncia são alvos: Coriolano Coutinho; o empresário Pietro Harley; Camila Gabriella; Ednazete Raulino; Josefa Dias Barros; José Wamberto de Lima Barros; Patrício Farias Leite; Patrício Freires de Lima; Geruza Benedita de Carvalho; Luiz de Sousa Júnior; Ivo Peron Rocha; Carlos Antônio Rangel Júnior; Kallina Lígia Palitot; Maria Lídia Rezende; Givanilda Nicolau Diniz; Gilberto Cruz de Araújo e Givago Correia Barbosa.

As denúncias foram apresentadas no dia 26 de janeiro e recebidas nos dias 31 de janeiro e 4 de fevereiro.

Confira as decisões:

Foto: reprodução
Foto: reprodução

Por: Pleno Poder