SERTÃO

Projeto de Lei do Vereador Lafayette Gadelha se tornam Quadrilha Juninas Patrimônio Cultural de Sousa

20/12/16 - 08:00

As festas juninas formam uma das tradições mais ricas, seculares e alegres de nosso país. Neste contexto, a Câmara Municipal de Sousa aprovou um Projeto de Lei apresentado pelo vereador Lafayette Gadelha (PT) que declara as quadrilhas juninas Patrimônio Cultural Imaterial do povo sousense.

 

"Trata-se de valorizar a cultura popular, manter vivas as tradições. As quadrilhas juninas representam um traço inconfundível do folclore brasileiro. Marcadamente na região nordeste, onde os festejos do São João possuem uma presença ainda maior na sociedade. Temos que prestigiar as nossas coisas ao invés de assimilar valores enlatados como o Halloween que não tem nada a ver com a gente", explicou o vereador Lafayette Gadelha.

 

O projeto de Lei foi um pedido do presidente da Liga das Quadrilhas Intermunicipal Vale dos Dinossauros ao vereador Lafayette.’’ Estamos felizes pela aprovação’’ disse o presidente da LIQUAVALE.

 

A quadrilha é uma dança popular que provavelmente se originou na França e na Inglaterra, praticadas como danças agrícolas da Europa antes do Cristianismo, celebrando a chegada da colheita entre os camponeses. Nos séculos XVIII e XIX, a dança se espalhou pela aristocracia de vários países europeus. O nome vem do francês, “quadrille”, o qual tem origem no termo italiano “squadro”.

 

 A família real portuguesa trouxe ao Brasil essas danças que eram populares na sociedade aristocrática europeia por volta da década de 1820, onde inicialmente foi espalhada no Rio de Janeiro. A quadrilha começou a ser praticada pelas classes populares no início da República, por volta de 1889, principalmente nas áreas rurais, o que explica seu estilo caipira praticado até hoje na maioria das regiões, pois quando esta foi introduzida em clubes e ruas, passou a assimilar características regionais. Os fazendeiros contratavam os grupos de dança para se apresentarem nos casamentos de seus filhos, assim a quadrilha torna-se parte dos casamentos rurais e traz consigo a tradição da encenação do casamento matuto. “En arrière” (atrás) era um dos nomes das coreografias que eram ditas em francês e foi aportuguesado para “anarriê”, como tantos outros termos que ouvimos durantes as apresentações das danças. A quadrilha tornou-se tão popular que vários instrumentos como triângulo, zabumba e sanfona foram incorporados à dança.

 

A cidade de Sousa-PB possui inúmeros grupos de quadrilhas juninas espalhados em vários bairros e comunidades, dentre os quais, muitos deles já foram premiados em competições fora do município e até do Estado, representando extraordinariamente os nossos símbolos e nossa gente.

 

 

F5Paraíba

COMENTÁRIOS